Parque Nacional Tyresta

O Parque Nacional Tyresta está integrado numa reserva natural que fica integrada no condado de Estocolmo, distando apenas 20 km da capital sueca. Num total de mais de 19,7 km², este parque é imperdível para os amantes de natureza, apresentando mais de 55 km de trilhos com dificuldade variável que nos levam a percorrer um ambiente simplesmente único.

Continue reading “Parque Nacional Tyresta”

Mdina

Conhecida como a “Cidade Silenciosa” e antiga capital de Malta até ao longínquo ano de 1570, Mdina continua a ser uma cidade muralhada e a manter a sua personalidade ao longo de todos estes anos, com influências fenícias e árabes ainda bem vincadas.

Optámos por partir bem cedo de Valletta para Mdina, optando pelo transporte de autocarro. Após uma viagem de menos de 1 hora, vemos finalmente as muralhas da cidade, numa encosta, com toda a imponência que tínhamos idealizado.

10.1
Muralhas de Mdina

Chegamos a uma praça fora dos limites da muralha, bastante movimentada e turística, funcionando com o terminal de autocarros daquela cidade. O acesso ao interior das muralhas faz-se a pé, sendo o acesso de automóveis apenas permitido a moradores.

À entrada das muralhas deparamo-nos com uma ponte e mais uma enorme porta, aberta e a convidar-nos para explorar o seu interior. Posteriormente soubemos que esta ficou famosa por surgir na famosa série “Game of Thrones”, como a entrada de King’s Landing.

Já no seu interior, encontramos uma cidade também ela em tons calcários como Valletta, que a torna peculiar. Logo depois do portão existe um dos edifícios mais bonitos da cidade, o Palazzo Vilhena, onde funciona hoje o Museu de História Natural de Malta. Não visitámos o museu propriamente, mas vale a pena admirar a sua arquitectura. Em frente a este edifício existe também um posto de turismo, onde existem folhetos com mapas gratuitos da cidade. Mas a cidade é tão pequena que optámos simplesmente por nos perder nas suas ruelas, sem qualquer mapa.

A caminhada pela cidade vale a pena porque toda ela parece um labirinto, numa mistura de luzes em cada ruela, que apesar de parecerem todas iguais, nos davam perspectivas completamente diferentes umas das outras. É por estas ruelas e pelo silêncio aqui sentido que percebemos o porquê de chamarem a esta cidade a “Cidade Silenciosa”. O silêncio é efetivamente uma constante, por vezes interrompido por grupos de turistas ou pelo som dos sinos da catedral. Se isto se sente durante o dia, como será durante a noite, dado viverem menos de 300 pessoas no interior das muralhas…

Chegamos à Praça de S. Paulo, onde se encontra a Catedral de S. Paulo ou Catedral de Mdina que ouvíamos ao longo durante o passeio pelas ruelas da cidade. É um dos edifícios mais imponentes de Mdina e merece também uma visita. Se puderem visitem o seu interior, rico em detalhes e ornamentos que remontam às origens da cidade.

Na ponta oposta da porta da cidade, encontramos o Bastião, uma praça que permite uma vista panorâmica sobre os arredores da cidade até aos limites de Malta, favorecida pela altitude em que esta cidade se encontra. Recomendamos uma paragem aqui, para aproveitar o silêncio e a magnífica vista que nos proporciona.

A visita à cidade pode ser rápida, sendo que se não quisermos visitar todos os museus se consegue fazer em meio dia. O caminho de volta faz-se uma vez mais pelas ruelas, que são definitivamente uma perdição para os amantes de fotografia.

13.1

Como chegar: A partir do exterior de Valletta, perto da Fonte do Tritão, existem os terminais de autocarros. Aconselhamos o 51 ou o 52, que demoram menos de 1hora até Mdina. O bilhete varia os preços, consoante a época do ano e a hora do dia. Durante o dia no Inverno, o bilhete custa 1,50€ e durante o dia no Verão custa 2€. Os bilhetes nocturnos são 3€/pessoa (Todos estes valores são por viagem). Para mais informações visitem o site de Malta Public Transport.

Dicas extra:

  • Nos arredores das muralhas de Mdina, também se consegue chegar a pé à zona de Rabat, conhecida como o berço da cristandade de Malta. Aqui encontramos diversos vestígios da passagem romana, sendo que aqui acabámos por visitar as Catacumbas de S. Paulo (St. Paulo’s Grotto), onde se acredita que S. Paulo se refugiou com os primeiros cristãos da ilha para fugir às perseguições dos romanos (entrada 5€/pessoa).

11.1
Pormenores das ruas de Rabat

7.1
Catacumbas de S. Paulo

  • Rabat é em si maior que a cidadela de Mdina, encontrando-se aqui mais opções de restaurantes e alojamentos, se preferirem pernoitar nesta região.

Circuito de 3 dias em Paris

Há muito tempo que ansiávamos com uma viagem a Paris. Cidade romântica por natureza, tem locais imperdíveis e que nos cativaram logo à primeira vista. Ao longo de 3 dias, aproveitando um fim de semana grande com feriado à 6ª feira (5, 6 e 7 de Outubro de 2018), deixámo-nos perder por esta capital europeia repleta de histórias e que nos deixou com uma enorme vontade de regressar para ver tudo o que ainda ficou por ver.

Continue reading “Circuito de 3 dias em Paris”

Roadtrip de 11 dias pela Islândia

Partir em viagem com um circuito pela Ring Road da Islândia era algo há muito desejado, que acabámos por realizar durante 11 dias, entre 30 de Março e 10 de Abril de 2018. O que vos apresentamos de seguida são algumas considerações antes de partir e alguns detalhes diários que possam ajudar quem eventualmente queira partir numa aventura deste género. Esta foi, sem dúvida, uma viagem marcante para nós que aconselhamos vivamente aos amantes de natureza.
Continue reading “Roadtrip de 11 dias pela Islândia”

O norte da Islândia

O norte da Islândia, menos povoado e com menor participação nos roteiros turísticos que muitas vezes encontramos, tem recantos maravilhosos que nos deixaram deslumbrados. Penínsulas com vistas inesquecíveis e vida selvagem em todo o seu esplendor, contacto com as antigas tradições islandesas como na quinta de Glaumbær, cidades como Akureyri e Blönduós, o Lago de Mývatn assim como as fantásticas Goðafoss e Detifoss são locais de paragem obrigatória.

Continue reading “O norte da Islândia”

O sul da Islândia

O sul da Islândia é das zonas mais turísticas da ilha, sendo igualmente onde encontramos alguns dos pontos mais conhecidos, cujas fotos são sobejamente conhecidas e nos encantam de cada vez que as vemos. Mas acreditem, por mais fotografias que já tivéssemos visto de locais nesta zona que queríamos conhecer, não estávamos de todo preparados para aquilo que encontrámos ao vivo e a cores. Desde o Círculo Dourado (Golden Circle), passando por cascatas imperdíveis como a Skogafoss e a Seljalandsfoss, praias de areia preta e uma lagoa de icebergues, tudo ligado pela Ring Road (N1) e simplesmente imperdível.
Continue reading “O sul da Islândia”

Península de Snæfellsnes

A pouco mais de 160 km de Reikjavík, a península de Snæfellsnes com os seus 90 km de extensão é um lugar imperdível numa passagem pela Islândia. Dizem ser uma “mini Islândia” por si só, tendo aí alguns dos locais mais fotografados e conhecidos deste país.

Continue reading “Península de Snæfellsnes”

Skaftafell

O Parque de Skaftafell, integrado desde 2008 no Parque Nacional de Vatnajökull, é um dos pontos imperdíveis da passagem pelo sul da Islândia. Por entre vários trilhos, todos eles também com paisagens de cortar a respiração, encontramos cascatas únicas e uma mistura de tons que valem a pena conhecer. Continue reading “Skaftafell”

Os Eastfjords

Os Eastfjords são uma extensão de aproximadamente 120km na costa Este da Islândia, considerando-se que se iniciam entre as localidades de Borgarfjörður Eystri e Berufjörður. Dizem que apenas 3% da população total da Islândia vive nesta zona, sendo que aqui se destacam as quintas típicas, as pequenas vilas piscatórias e lagos encantadores que criam verdadeiros cenários de filme. Continue reading “Os Eastfjords”